Mobilização em defesa da previdência

A proposta de reforma da Previdência do governo federal não combate as desigualdades nem acaba com os privilégios. Ela retarda a concessão da aposentadoria e reduz o valor dos benefícios.

Se a reforma for aprovada o que vai acabar é a sua, a nossa aposentadoria.
• A reforma acaba com a aposentadoria por tempo de contribuição;
• Impõe a obrigatoriedade de idade mínima para aposentadoria de 65 anos para os homens e 62 para as mulheres;
• Aumenta o tempo de contribuição de 15 para 20 anos.
• Muda o cálculo do valor do benefício. Ao invés de contabilizar 80% dos salários mais altos que você recebeu na vida, como é hoje; vai contabilizar todos os seus salários, desde os primeiros.
• E quem quiser receber o valor integral do benefício terá de trabalhar e contribuir durante 40 anos.

O governo quer que você contribua mais cinco anos e receba um benefício menor.

Ataque às mulheres
As professoras do setor público terão de trabalhar mais dez anos e contribuir mais para se
aposentar com benefício parcial. Hoje, elas se aposentam com 50 anos de idade e 25 anos
de contribuição. O governo quer que se aposentem com 60 anos e 30 anos de contribuição.

O governo também quer aumentar a idade mínima de aposentadoria das trabalhadoras rurais de 55 anos para 60 anos de idade e o tempo de contribuição de 15 para 20 anos.

Governo quer meter a mão no Abono salarial
O governo quer pagar o abono salarial do PIS/Pasep apenas a quem ganha até um salário mínimo. Hoje, tem direito a 1 salário mínimo ao ano todo os que recebem até 2 salários. É mais desigualdade! É mais pobreza!

Privatização da Previdência
Se PEC for aprovada, a Previdência vai ser privatizada e o dinheiro será transferido para os bancos. É disso que se trata a capitalização, que obriga o trabalhador a abrir uma conta, pagar taxas de administração e depositar todo mês para se aposentar. E tudo sozinho, o patrão e o governo não vão mais contribuir.

O governo mente
O governo diz que essas medidas são necessárias porque a Previdência Social está quebrada e com a reforma pode economizar R$ 1 trilhão em 10 anos. Isso é mentira! A Previdência não está quebrada. Eles querem economizar colocando a conta nas costas do trabalhador e dos mais pobres.

Os recursos financeiros da Previdência Social vêm sendo desviados há décadas. Quando o governo desonera uma empresa, ele está desviando. Quando o governo isenta um setor, ele esta desviando o dinheiro dos cofres do INSS.
Os empresários também metem a mão no dinheiro do INSS quando sonegam, embolsam o que foi descontado do seu salário ao invés de contribuir com o INSS.

Somente a sonegação chega a R$ 450 bilhões – mais que o dobro do suposto rombo nas contas da Previdência em 2018.

As Centrais Sindicais reafirmam: não aceitaremos qualquer proposta que retire, diminua ou flexibilize
os direitos sociais assegurados pela Seguridade Social! VAMOS À LUTA PARA DEFENDER NOSSA APOSENTADORIA! É possível derrotar mais esse ataque! Reaja agora ou morra trabalhando!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *