História viva do saneamento potiguar

A direção do  Sindágua/RN recebeu na ultima sexta-feira, dia 02/10, a visita de Venancio Barbosa dos Santos, sócio fundador do Sindicato. Aposentado pela CAERN, Venancio, aos 91 anos, exibe com orgulho a sua carteira de sócio sindical de número 184.

Me associei no dia de fundação do Sindágua/RN, no dia 22 de fevereiro de 1964. Ingressei  no setor de saneamento no dia 18 de maio de 1952.

“Literalmente ajudei  a construir a sede do Sindágua/RN em 1964. Nosso primeiro diretor presidente Luiz Alves Quirino convocou os sócios para edificarem a sede sindical. A obra demorou um pouco, pois os voluntários trabalhavam aos sábados, domingos e feriados”, disse Venancio ressaltando que “naquela época as salas administrativas ficavam no subsolo e o auditório onde eram realizadas as assembleias ficavam no térreo. Não existia ainda o primeiro andar que só foi construído anos depois”.

“Nesta época a rua Coronel José Bernardo no Alecrim não tinha grandes edificações. Havia muitos terrenos a serem ocupados e a sede do Sindicato foi cedida a través de doação” afirmou Venancio.

“Nesta época não existia a CAERN. Os serviços de tratamento de água e de esgotos estavam a cargo do Departamento de Águas e esgotos de Natal que permaneceu à frente dos serviços de saneamento de Natal e demais cidades do Estado, até o ano de 1969 quando foi criada a Companhia”, disse Venancio . Veja abaixo um breve resumo histórico.

Quando questionado sobre as mobilizações, Venencio se lembra da grande greve realizada no Governo de Aluízio Alves (1961 a 1966). Nesta época, como resultado deste movimento, foi facultada para a categoria a escolha entre o Regime Estatutário e da CLT sendo escolhida esta ultima.

Lúcido e muito brincalhão, Venancio esbanja simpatia e respeito. Hoje mora no interior do Estado no Município de São José de Campestre, onde curte filhos, netos e bisnetos com muito história para contar.

Breve histórico

Em 1935 a Comissão de Saneamento de Natal foi recriada e com a recriação da Comissão, os serviços de saneamento da Capital passaram a ser geridos pelo Escritório de Engenharia Civil e Sanitária Saturnino Brito. Coube ao Escritório Saturnino Brito a elaboração dos projetos e a construção das obras de rede de esgotos e outros trabalhos complementares ao saneamento da cidade do Natal.

Em 1935 a população de Natal era da ordem de 75.000 habitantes, concentrada basicamente na chamada Zona Central da cidade, que compreende os bairros de Santos Reis, Rocas, Ribeira, Cidade Alta, Petrópolis, Tirol, Barro Vermelho e parte do Alecrim. Os serviços de esgotos sanitários, à época, apresentavam índices de cobertura invejáveis em relação aos atuais.

Neste período foram realizadas importantes obras, entre as quais se destacam: Estação Elevatória de Esgotos do D-5 (Ribeira) para a Zona Baixa da Cidade, um Túnel de 180m, a Estação Depuradora do Baldo e o Edifício da Repartição de Saneamento de Natal, localizado na Ribeira.

Neste período deve-se destacar ainda, o ano de 1937, em que foi aprovada a criação da Repartição de Saneamento de Natal, cuja administração continuou a cargo do Escritório de Engenharia Civil e Sanitária Saturnino Brito, até o ano de 1952.

Em 1952 foi criado o Departamento de Saneamento do Estado – DSE, Órgão responsável pela manutenção e o desenvolvimento dos serviços de abastecimento de água e de esgotamento sanitário das Cidades de Natal, Caicó e Mossoró.

Em 1964, o Projeto de Reforma Administrativa do Estado do Rio Grande do Norte transformou o DSE no Departamento de Águas e Esgotos de Natal – DAE que permaneceu à frente dos serviços de saneamento de Natal e demais cidades do Estado, até o ano de 1969 quando foi criada a Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte – CAERN.

No ano da criação da CAERN (1969), a população de Natal servida com rede coletora de esgotos era de 27.647 habitantes (5.045 ligações de esgotos), logo a cobertura dos serviços públicos de esgotamento sanitário era, à época, da ordem de 11%.

Com o Novo Marco Legal do Saneamento, que virou lei este ano, a Companhia ajustou seus planos para continuar crescendo focada na sua missão de promover a universalização dos serviços para os potiguares.

O objetivo dessa universalização, de acordo com a lei, é para 2033 – sendo a meta de 90% para esgotamento sanitário e 99% para distribuição de água. No planejamento da Caern, Natal e Mossoró ficarão com a cobertura de esgotos próximo da universalização em média dez anos antes do que determina o Marco. Também tem atuado em outras cidades em obras de esgotamento e de abastecimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *